PESQUISA

PROJETOS INTERNOS

Acontece apenas dentro PET EEL, ou seja, o petiano desenvolve sua pesquisa autonomamente.

PROJETOS EXTERNOS

Ocorre quando um petiano desenvolve alguma atividade dentro dos laboratórios da UFSC ou em algum estágio.

ESTÁGIO DE FÉRIAS

Acontecem durante as férias de verão e é uma oportunidade para os petianos entrarem em contato com o mercado de trabalho ao lado de engenheiros já formados.

ENSINO

CURSOS

Os cursos podem ter ministrantes internos, ou seja, membros do próprio PET que ministram o curso, ou ministrantes externos, trazidos pelo grupo para a abordar a temática do curso em questão. Os cursos oferecem certificado validado pela UFSC aos participantes.

SEMINÁRIOS

Toda sexta-feira, às 12h15 na Sala de Reunião do DEEL, um membro do PET EEL apresenta um seminário de um determinado tema, além de contribuir para o conhecimento, ocorre também o treinamento da oratória.

EXTENSÃO

VMC

A Volta ao Mundo do Conhecimento (VMC) é realizada pelos membros do PET da Engenharia Elétrica, com o objetivo de ampliar o desenvolvimento acadêmico dos graduandos de engenharia através de visitas técnicas em empresas nacionais e internacionais. Visa incentivar os alunos à uma graduação de excelência por meio do contato com as necessidades e habilidades requeridas pelas empresas em questão.

SEPEX

A Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (SEPEX) acontece todo ano em outubro na UFSC e visa a demonstrar o potencial e as realizações da universidade e promover reflexão sobre o seu significado social. O PET EEL, junto com outros PETs, monta um estande onde expõe alguns de seus projetos para engajar o público.

AÇÕES SOCIAIS

Parte do dinheiro arrecadado dos cursos promovidos pelo grupo são doados a instituições de caridade. Além disso, também são feitas visitas para algumas instituições, sejam escolas ou programas de reabilitação, onde são apresentadas as oportunidades presentes na UFSC.

PROJETO DAS

Através do Departamento de Automação e Sistemas (DAS), o grupo auxilia crianças de colégios de Florianópolis, com idades entre 12 e 14 anos, na construção de foguete movido à água pressurizada. O objetivo principal é aproximar as crianças de conceitos vistos em aula e que, muitas vezes, são abstratos demais e acabam perdendo a atenção dos alunos, de forma lúdica e prática.