Conheça seu professor

Conheça Seu Professor – Richard Demo Souza

Nome completo: Richard Demo Souza

Departamento: DEEL – Departamento de Engenharia Elétrica e Eletrônica

Biografia: Eu nasci em Florianópolis, mas sempre morei em São José. Estudei na UFSC na minha graduação, e fiz doutorado aqui também. Logo na sequência fiz um concurso aqui no departamento, mas não fui o primeiro classificado. Na mesma época passei em primeiro lugar num concurso em Curitiba, na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), e assumi a posição lá. Fui professor da UTFPR por 13 anos. Em fevereiro de 2017, através de um processo de transferência, acabei vindo para cá.

 

Carreira:

Área(s) de atuação: Comunicações sem fio.

Por que escolheu Engenharia? Eu escolhi Engenharia Elétrica porque no Ensino Médio gostava de Matemática e Física, não gostava de Biologia e Química. Acredito que foi mais por não gostar de outras áreas que acabei optando pela Engenharia. Eu gostava também de mexer em computadores e achava que tinha ligação com isso. Pelo visto não estava tão bem informado, Engenharia Elétrica é muito mais que isso. Depois que comecei, gostei. Não tem uma razão muito precisa, não há ninguém na minha família que era engenheiro, foi um pouco por acaso.

Por que escolheu a carreira de professor? Aí eu sempre gostei! Sempre gostei de estudar, minha mãe é professora. Ao longo do curso cheguei a estagiar (estagiei 2 vezes), não gostei muito do ambiente de empresa e sempre gostei do ambiente da universidade. Achei que seria interessante tentar ser professor, e então tentei.

Maior desafio da carreira: Acho que o maior desafio é ser professor sem ter aprendido a ser professor. Para ser professor de universidade você tem que, em geral, fazer mestrado, doutorado, fazer pesquisa para poder passar em concurso. Mas depois que você passa no concurso, sua primeira atividade não é fazer pesquisa, é dar aula. Esse é o maior desafio, você não tem preparação nem orientação para isso. Você tem que acabar descobrindo sozinho, inclusive meu primeiro semestre como professor na UTFPR foi bem difícil.

Maior conquista: Poderia citar várias coisas, como superar esse desafio inicial de ser professor que comentei. Mas para quantificar melhor, minha conquista mais importante como professor foi quando recebi um prêmio junto com um ex-aluno meu, Glauber Brante, o Prêmio Capes de Tese em Engenharia Elétrica. A tese de doutorado dele foi premiada como a melhor do Brasil em Engenharia Elétrica naquele ano. Isso me deixou bem feliz e satisfeito, tanto por mim quanto por ele. Foi um marco importante.

Matérias que ministra/ministrou: As matérias que ministrei são Sinais e Sistemas (discreto e contínuo), Comunicação Digital, Comunicações Sem Fio e agora Princípios de Sistema de Comunicação. Também já substituí alguns professores em outras disciplinas, porém por um semestre apenas.

Laboratórios que trabalha/trabalhou: Eu estudei no Laboratório de Comunicações e Sistemas Embarcados (LCS) durante a graduação e depois fui para Curitiba (UTFPR). Lá, não HAVIA um laboratório da minha área. Com o tempo, montei um laboratório lá de Sistema de Comunicação, que cresceu bastante, atualmente é até maior do que o LCS. Trabalhei nesse laboratório por uns 11 anos. Desde março de 2017 até o início de 2018, estive novamente no LCS. Atualmente, trabalho no Laboratório de Circuitos e Processamento de Sinais (LINSE).

Projetos em andamento: Possuo vários projetos em andamento, a maior parte das minhas atividades são acadêmicas, voltadas para a educação e pesquisas. Atuo muito em parceria com colegas da UTFPR, alguns do exterior e alguns daqui de Florianópolis (UFSC e IFSC). Aqui trabalho com um projeto de rede sem fio de longo alcance e baixa potência (LPWAN), dentro do contexto de internet das coisas, junto com a EPAGRI, para monitoramento de estações meteorológicas. Também recém iniciamos outro junto com o Parque Tecnológico Itaipu, na mesma linha. Essas são os projetos mais tecnológicos. Outro projeto bem interessante que estamos tocando, mais científico, envolve um professor da Escócia e dois ex-alunos (da UTFPR) meus que estão fazendo doutorado lá. Trabalhamos com aplicações de aprendizado de máquina em comunicações sem fio, em especial comunicações celulares. Como os sistemas têm se tornado cada vez mais complexos, exploramos aprendizagem de máquina para que a otimização do sistema possa ser feita de forma autônoma. É uma área bastante quente no momento. Outros projetos que estou envolvido em geral lidam com segurança da informação, eficiência energética da comunicação sem fio, cooperação entre dispositivos que querem se comunicar com um destino em comum, entre outros temas relacionados.

Ser professor da EEL é

Ser professor da EEL para mim é uma satisfação e um desafio. Ao mesmo tempo que fico feliz em ser professor daqui agora, quero contribuir com o curso e o departamento.

 

Pessoal:

Hobbies: Nos últimos anos, tem sido brincar com meu filho, mas quando sobra tempo, eu gosto bastante de ler.

Esporte: Já pratiquei mais, principalmente futebol e tênis. Hoje surfo e caminho, é o que o joelho permite.

Estilos musicais: Gosto de Rock.

Filme: Não tenho um filme com um grande destaque, mas um que gosto bastante de ver é o Lawrence da Arábia, gosto bastante de filmes antigos.  

Livro: Como gosto muito de ler, não consigo dizer um específico. Mas como recomendação sugiro um livro que é muito melhor que o filme, “Eu Sou a Lenda”.

Um lugar: Florianópolis, gosto bastante, passei anos tentando voltar para cá.

Um ídolo: Não possuo um ídolo, admiro várias pessoas em vários aspectos, mas não alguém para chamar de ídolo.

Conselho para os futuros engenheiros: Como professor poderia dizer para continuar estudando, mas isso o mundo vai te obrigar a fazer. Acredito que um conselho seria tentar usar o teu conhecimento e a oportunidade que a vida te deu — precisamos ter consciência que não estamos aqui só por talento, tivemos uma oportunidade na vida também — para alguma coisa boa para ti e boa para os outros, não ser tão egoísta quanto é o mundo hoje. Tentar usar para o bem essa chance que tu e a vida te deram.

 

 

O PETEEL agradece o Professor pela entrevista, fique ligado no site para saber mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *