Conheça seu professor

Conheça Seu Professor – Werner Kraus Junior

Biografia:

Werner nasceu em Blumenau e veio para Florianópolis em 1982 para cursar Engenharia Elétrica na UFSC. Formou-se em 1986 e entrou no mestrado em 1988. Seu mestrado foi na área de ensino para a engenharia, com o tema específico de avaliação do primeiro currículo de Engenharia de Controle e Automação que estava sendo proposto na UFSC sob liderança dos professores Jean Marie Farines e Augusto Bruciapaglia. Além disso, sua dissertação também abordou um software chamado Avilam, desenvolvido por ele, que é um ambiente virtual de laboratório para microcomputadores, pois na época estava muito entusiasmado com o uso de computadores em sala de aula como auxílio ao ensino. Permaneceu na UFSC como engenheiro e lecionando no curso de Engenharia Elétrica, quando, em 1993, foi fazer doutorado em Camberra, na Austrália, na Universidade Nacional da Austrália, instituição com foco maior em pesquisas. O doutorado foi feito na área de robótica de manipuladores, que era um tema em alta na época, e finalizado em 1997. Voltou para a UFSC, como bolsista de pós-doutorado no recém criado Departamento de Automação e Sistemas (DAS) e, em 2000, se tornou professor do departamento, onde atua na área de automação de sistemas de transportes urbanos.

 

Áreas de atuação:

Aplicações de métodos de controle e automação para sistemas de transportes, como controle semafórico e controle de intervalos entre ônibus. Em parceria com um professor grego, coordenou um projeto de implantação de central de controle de tráfego, a qual está sendo comercializada pela empresa Brascontrol. O professor Werner foi convidado para trabalhar na área de planejamento de transportes, em que estão terminando um projeto de licitação do sistema de transporte para a região metropolitana de Florianópolis. Seu projeto de maior interesse é a automação da mobilidade urbana com veículos automatizados e conectados. Werner pensa que tais veículos são o futuro, chegando até à substituição do condutor humano pela direção automatizada.

 

Por que escolheu a engenharia?

Werner escolheu a engenharia por questões de afinidade com os problemas estudados no curso, pois gostava muito de física e de matemática e se identificou com a carreira de engenheiro. Sempre gostou muito de aparelhos de som, sendo essa sua primeira motivação para entrar no curso de Engenharia Elétrica, mas acabou seguindo uma carreira diferente da que ele pensava: educação em engenharia, robótica, engenharia de automação aplicada a transportes e planejamento de transporte.

 

Por que escolheu a carreira de professor?

Desde muito cedo Werner gostava de ensinar as pessoas e tinha aptidão para isso. Assim, desde que entrou no curso de Engenharia Elétrica já havia optado pela carreira de professor, e não pensava em outro caminho a seguir.

 

Maior desafio?

O maior desafio enfrentado pelo professor Werner em sua carreira são as mudanças de área que ele se propôs a fazer, pois isso demanda muito esforço e estudo. Gostaria de ter optado pela área que atua, controle e automação aplicados a sistemas de transporte, logo no início dos estudos em engenharia para que sua trajetória fosse voltada a isso. Werner pensa que, às vezes, subestimamos o esforço necessário para adaptação a outra área de pesquisa; no seu caso, não foi diferente quando iniciou a pesquisa em temas de transportes. Ainda mais que, nessa área, experimentamos as dificuldades diárias do trânsito urbano e temos propostas intuitivas de solução dos problemas. Mas, como em todas as áreas do conhecimento, não é tão simples como parece formular soluções viáveis e eficazes.

 

Maior conquista?

Werner afirma que ainda está para realizar sua maior conquista. Ressalta que gostaria de aliar melhor seus interesses em pesquisa e sua participação social com a formação de recursos humanos. Gosta muito de estar em sala de aula, mas sente que ainda não consegue ensinar aquilo que deveria ser ensinado para os alunos, para que o ensino seja mais abrangente e profundo, aliando a técnica com um projeto social.

 

Disciplinas?

Para a graduação, ministrou ou ministra Microprocessadores, Sistemas Digitais, a antiga matéria de Informática Industrial e a parte de laboratório da disciplina de Sistemas de Controle. Para a pós graduação, Introdução a Controle, Teoria de Fluxo de Tráfego Veicular voltado para Controle e Modelagem para Otimização.

 

Projetos e Laboratório?

Atualmente Werner se dedica a um projeto de transporte urbano, com duas vertentes principais: a implementação de métodos de controle no transporte público e o planejamento de transportes. Este último tema vem sendo desenvolvido desde 2014. Ao terminar o projeto, pretende se voltar para a participação social da área, com foco em automação aplicada para sistemas de transporte.

 

Ser professor é:

Gratificante, mas também envolve buscar formas de preparar as gerações de estudantes para um futuro que ainda desconhecemos. Um professor precisa formar essas gerações de forma a criar um futuro melhor para o mundo. Em uma palavra, é desafiador.

 

Hobbies:

Atualmente seus maiores hobbies são ouvir música, principalmente clássica, e praticar ciclismo. Gosta também de surfar, atividade que não pratica com tanta regularidade pela falta de tempo.

 

Gostos Pessoais:

Gosta de cinema, e cita “A Última Tentação de Cristo”, “Dogville” e “O Poderoso Chefão” como filmes que o marcaram. Ao ser questionado sobre um lugar que o marcou, trouxe a Lagoa da Conceição de 1985, ano em que se mudou para o bairro. Diz que o local e as convivências mudaram suas concepções sobre Florianópolis, dos modos de viver a vida e, por que não, da visão de mundo.

 

Ídolo:

Vê o personagem histórico de Buda como uma referência, mas não o idolatra. Tem como ídolo uma figura de sabedoria e simplicidade. Na música e nas artes, cita Gabriel García Márquez, Tom Jobim e Chico Buarque.

 

Conselho para futuros engenheiros:

Aproveitar a vida, valorizar seu lado individual, preservar sua individualidade sempre pensando no seu papel no coletivo. Ao mesmo tempo, buscar o exercício da vida pessoal e profissional como um exercício crítico de construção de uma nação brasileira. Enfim, fazer um projeto de profissão com forte compromisso com a causa nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *